Textos

O Primeiro pedaço do bolo.

Bom o que tem ele? É bem simples...

 

A mais ou menos um mês meu irmão fez aniversário e fez sua festa para comemorar. Tudo muito legal como sempre, e as festas de família são uma ótima oportunidade de ter contato com as pessoas que amo e poder parar de trabalhar que é a única coisa que faço quase sempre. E foi uma festa muito boa, os filhos dele, minha mãe e irmã os parentes e amigos mais chegados que meu irmão amava estavam lá.

 

E depois do parabéns a coisa mais piegas do mundo acontece sempre, a tradição do primeiro pedaço de bolo.

 

Sim o primeiro pedaço do bolo, sabe?

 

“Para quem vai o primeiro pedaço do bolo...?”

 

E meu irmão com os filhos pequenos, os amigos, família todos que amava de verdade, sem pensar, entregou o pedaço de bolo a esposa dele. 

 

Na hora parei e pensei no que vou dizer aqui, que é o verdadeiro significado do primeiro pedaço de bolo.

 

Pensem, no aniversário celebramos o passar de um ano inteiro de nossas vidas.

 

Um ano inteiro, 365 dias, 8760 horas, 525600 minutos. E meu irmão sem pensar naquele minuto deu o pedaço de bolo que significava isso para a mulher dele. E automaticamente minha cabeça começou a pensar nisso de uma maneira mais profunda.

 

Sim nesse momento esperamos que o pedaço de bolo seja dado a pessoa mais importante de sua vida nesse um ano que passou e meu irmão deu o dele a sua esposa e não aos seus filhos pequenos que pediam ou a todos os amados a volta. Sim a pessoa que o fez acordar e voltar para casa na maioria dos dias de seu ano. E me lembrando de alguns meses antes no aniversario dela, lembrei-me de ela fazer o mesmo para ele.

 

Isso me fez pensar, sobre para quem damos nosso pedaço de bolo todos os dias?

 

Sim, para quem ou o que você entrega seu pedaço de bolo todos os dias, não apenas para quem, por que meu irmão escolheu a mulher dele, mas pessoas pelo mundo escolhem na maioria dos dias outras coisas.

 

Os filhos, os amigos, o trabalho, seus estudos, suas paixões e a si mesmos as vezes.

 

Na nossa vida existem fases como na infância onde escolhemos brincar para cada pedaço de bolo diário, depois os estudos, a carreira e em algum momento os relacionamentos para os pedaços de bolo diários que entregamos, então tentei ver a escolha de meu irmão de forma mais profunda, e então entendi muitas coisas de minha própria vida.

 

Meu irmão é um homem com a mesma criação que eu, porem em um momento da vida dele acabou escolhendo viver para sua família, e não mais se dedicou a outras coisas de forma tão intensa, e agora percebo que ele estava certo em sua escolha pelo ponto onde chegou.

 

E explico isso em se viver a vida se baseado nas prioridades e nos objetivos que nós podemos chamar popularmente de: Plantar uma arvore, Escrever um livro e Ter um filho.

 

Mas o que essas coisas verdadeiramente significam?

 

Bom em uma instancia mais profunda, Plantar uma arvore significa o trabalho de cada dia, começando plantando ou iniciando um trabalho braçal ou que exija esforço diário, e depois prosseguindo dia a dia, aguando, cuidando, investindo esforço em cima de esforço para gerar algo, isso é o que chamamos de plantar uma arvore e isso pode ser qualquer trabalho diário onde invistamos esforço como o trabalho que fazemos para nos sustentar em uma fabrica ou escritório ou os trabalhos que nos tomam pouco ou muito esforço diário como os estudos acadêmicos.

 

Então, Escrever um livro é senão outra coisa que investir seu talento inato em uma criação artística, que vem do talento, como escrever um livro mesmo ou uma musica, desenhar um prédio ou algo que em ultima instancia é trazer ao mundo algo que originalmente existia apenas em sua mente ou no éter através do talento e isso inspirar as outras pessoas.

 

E às vezes misturamos as duas coisas, o esforço diário e o talento e plantamos arvores que são puro talento, e essas são as criações mais belas e espetaculares e as vezes as mais simples e maravilhosas desde o arquiteto que projeta uma cidade inteira até o jardineiro que transforma um chão qualquer em um pedaço do céu na terra.

 

Enquanto escrevia esse texto ouvia a 9ª sinfonia de Ludwig Van Beethoven, que em minha opinião é uma das mais belas demonstrações das duas coisas juntas no mundo, ele era surdo e escrevia imaginando a obra sem ouvi-la apenas a sentindo com o corpo e isso lhe gerava muito esforço e estresse segundo li, porem a união de seu talento único e esforço no final da vida trouxeram ao mundo praticamente um sopro de divino na terra.

 

Mas para isso ele não teve família própria, não se casou, apenas viveu para musica, para “Plantar O Seu Livro”, digamos assim, e isso esta errado?

 

Não, nem esta certo, nem errado, é uma escolha e como tal traz dor e prazer.

 

Meu irmão pelo contrario escolheu a família, e não estudou muito ou aprendeu algum talento artístico apenas trabalhou duro para sustenta-los e dar-lhes uma vida digna e isso fez seus dois filhos mulher felizes até hoje.

 

Porem agora ele esta começando seu próprio negocio e chegou a hora de plantar mais arvores maiores com mais esforço e intensidade para poder cuidar melhor de sua família, e sim a sua mulher, a pessoa que escolheu como a semente inicial de sua nova família e que ganha o pedaço de bolo, e me lembrando bem de quantos sacrifícios diários eles fazem um pelo outro, quantas brigas e diferenças e dificuldades tem de superar, vejo que eles também passam momentos difíceis, assim como Beethoven.

 

Uma vez em um asilo que visitei conheci um senhor que olhava para vazio com olhar saudoso e distante e ele me contou de algumas escolhas em sua vida e onde tinha investido seus pedaços de bolo. 

E me contou que o motivo de olhar para o vazio era por uma pessoa que não tinha tido coragem de investir seu pedaço de bolo, onde em um minuto apenas, ele quis mais do que tudo dar o pedaço de bolo a uma mulher mas não teve coragem no momento certo, e ele passou, e por isso olhava o vazio saudoso, pensando onde essa escolha momentânea  de um dos 525600 minutos em um ano apenas dos muitos anos que acumulava até ali faria em sua vida. Lembro-me te ter levado alguns bolos para ele até o fim de sua vida, e lembro-me dele com saudade.

 

E agora pensando nas escolhas que fiz e nas do meu irmão, nas de todos que conheço e de todas as pessoas do mundo pergunto: Onde você tem gasto seu pedaço de bolo diário?

 

Sabe em algumas épocas sabemos e aconselhamos as pessoas a investirem seus pedaços de bolo em coisas que são necessárias na época. Na Arvore, no Livro ou no Filho e dar prioridade a isso é normal, porem sem equilíbrio você pode virar o Beethoven ou mesmo o senhor do asilo de olhar vazio, por que eu pelo menos hoje penso que escolhi errado em certos momentos e as vezes escolheram errado por mim e por conta disso me resta muito tempo para as arvores e os livros.

Que alias logo poderão ler, mas como preço dessas escolhas passei anos onde não recebi o pedaço de bolo de ninguém e nem o pude dar a ninguém especial. 

Sim o bolo do meu aniversário que comi eu mesmo esse ano, e então baseado no preço de minha escolha venho dizer isso para vocês.

 

Amem, de verdade escolham o filho na hora certa, por que apenas isso devolve um pedaço de bolo real, para não olharem para o vazio quando não houver mais tempo ou serem lembrados apenas pelas suas sinfonias, meu irmão por escolher o pedaço de bolo para sua esposa tem as crianças mais lindas que conheço como obra que fica.

 

Meus sobrinhos e agradeço a Deus poder ama-los.

 

Engraçado, as pessoas já me disseram que vivem para seus sobrinhos ou parentes, mas eu amo meus sobrinhos e me visto, assim (Roupa Steampunk), e escrevo as historias que escrevo para poder criar um herói correto onde eles possam se espelhar, tio herói maluco. 

 

E eles gritam: “Tiuuuuuu” quando eu chego lá, e isso é bom.

 

Me emociono quando os vejo nos recitais da igreja porem quando os aplaudi outro dia e parei para olhar para o lado, e a mãe deles chorava de emoção e essa é a diferença dos pedaços de bolo que investimos em família própria e na que temos emprestado digamos assim, a diferença da alegria para a emoção maior. 

 

E é engraçado como quando eles correm e caem se machucando e começam a chorar, eles correm para quem chora por eles, e não para o herói que pode apenas lhes dar uma parte menor dos seus bolos diários.

 

Bom, amigos invistam seus bolos onde for conveniente, onde seus sonhos os levam, mas pensem que cada escolha de bolo que tem, a cada dia faz a diferença quando chegarem ao ultimo pedaço do bolo que forem dar.

 

 E escolham sabiamente, se escolherem o caminho mais ameno onde recebem os pedaços de bolo de volta, as vezes ele não é o mais ameno pelos sacríficos pessoais que farão, porem caminho que sigo, sem doce algum a não ser o meu próprio, não é fácil, mas não quero pena alguma pois isso é minha escolha de onde investi meus pedaços de bolo até hoje e onde as pessoas que escolhi os entregar resolveram fazer também.

 

Pois este é meu o pedaço de bolo a todos vocês hoje, a custo de muitos que escolhi não tomar para mim, ou que tomei com gosto amargo, espero que ele tenha valor para vocês e os alimente a alma.

 

O próximo texto, é sobre estética, espero que estejam do outro lado da tela para ouvir esse bufão em mais um de seus devaneios.

 

Beijos e abraços,

Eduardo "Lord Fire" Castellini Dourado...